Saquê: entenda a sua origem e como a bebida é preparada

Ad Blocker Detectado

Our website is made possible by displaying online advertisements to our visitors. Please consider supporting us by disabling your ad blocker.

O saquê é uma importante bebida japonesa conhecida ao redor de todo mundo. Muitas vezes, a vemos presente em grandes momentos de comemoração, desde conquistas profissionais em festas de empresas até eventos mais pessoais, como casamentos ou formaturas e aniversários importantes. No Japão, o saquê é tão adorado que chega a ser utilizado como oferenda aos deuses xintoístas.

Talvez você já tenha experimentado saquê e, caso não tenha experimentado, certamente já ouviu falar sobre a bebida. Mas, você sabia que o principal ingrediente na sua produção é o arroz? Na verdade, ele é feito basicamente de arroz fermentado e água. Não esperava que só isso fosse produzir uma das bebidas mais conhecidas ao redor do mundo, não é?

Tudo bem, vamos entender um pouco melhor essa história.

A história do saquê

Não existe uma data certa ou uma história muito clara sobre como o saquê surgiu no Japão. Existem, inclusive, diversas lendas que contam a origem da bebida. O que sabemos é que as primeiras menções sobre a bebida apontam para a cidade de Nara, que era a capital do país no século XVI.

Alguns anos depois, a cidade de Kyoto se tornou a nova capital do Japão e, à essa altura, já eram conhecidas 15 variedades de saquê e a bebida tinha se consagrado entre a sociedade mais nobre do país. A partir desse momento, a produção de saquê começou a sofrer diversas mudanças com influências externas, que afetaram diretamente em como a bebida se transformou com o passar do tempo.

O saquê ao longo da história

Quando a capital do Japão se mudou para Kyoto, o saquê começou a sofrer suas primeiras influências de outras culturas. A primeira veio da China, que fez com que o saquê passasse a ser consumido quente ao invés de gelado, como era até então.

Nessa mesma época, o Japão possuía mais de 180 produtores de saquê, o que gerou uma forte concorrência entre eles. Com essa competitividade, novas técnicas passaram a ser implementadas na produção de saquê, entre elas foi o desenvolvimento do koji (arroz fermentado previamente), que até hoje é uma técnica utilizada na fermentação do arroz.

A implementação do koji e do arroz fermentado fez com que o teor alcoólico do saquê aumentasse consideravelmente. Outra grande mudança que o saquê sofreu aconteceu durante a Segunda Guerra Mundial, devido à escassez de arroz no Japão durante esse período.

Por conta disso, passaram a ser adicionados outros ingredientes à receita, como álcool puro e glicose, fugindo um pouco do clássico arroz, arroz fermentado e água. Até hoje ainda existem produtores que utilizam essa receita com adição de álcool e glicose, embora alguns se mantenham fiéis à receita tradicional.

Os principais tipos de saquê

O saquê é uma bebida muito interessante, pois existem vários tipos e vários produtos diferentes. Todo ano, novos tipos de saquê surgem, enquanto alguns param de ser produzidos, mas, apesar disso, ainda existem alguns que são consagrados como os principais tipos de saquê.

O primeiro a ser mencionado é o Junmai-shu, que é o tipo de saquê mais puro que conhecemos, mantendo-se fiel à receita de arroz, arroz fermentado e água. O segundo tipo entre os principais é o Honjozo-shu, que é bastante similar ao Junmai-shu, embora apresente uma pequena quantidade de álcool na sua fórmula, o que deixa o sabor da bebida um pouco mais leve e fácil de beber.

Existem dois tipos de saquê que são muito similares entre si: são eles o Ginjo-shu e o Daigino-shu. Neles, o arroz é polido para diminuir a quantidade de gorduras e proteínas presentes na bebida. O que os diferencia é que o segundo tem o arroz mais polido, o que diminui bastante o volume original desse ingrediente na bebida.

Leave a Reply